Palavra do Presidente

Saudemos os novos tempos*

O mês de novembro marca o início de um novo ciclo de desenvolvimento do Brasil, com a entrada em vigor da Lei de Modernização Trabalhista. A partir de agora, o país passa a dispor de regras mais modernas, flexíveis e adequadas ao mundo do trabalho no século 21.

Ao proporcionar modernidade e segurança jurídica às relações de trabalho, as novas regras incentivam o investimento produtivo e a geração de empregos no volume e na velocidade de que o país precisa para crescer de maneira sustentável.

A partir de agora, teremos menos conflitos e maior capacidade de negociação, criando uma relação mais madura e mais profissional entre as empresas e seus empregados. A livre negociação propiciará a formação de um mercado de trabalho mais dinâmico, mais produtivo, capaz de oferecer inúmeras oportunidades até então bloqueadas pelas limitações impostas pela velha CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Junto com o teto de gastos, a Reforma do Ensino Médio e a terceirização da mão de obra, a nova legislação trabalhista fortalece o processo de modernização do Estado brasileiro, alinhando o arcabouço legal do país com os setores mais modernos e inovadores da economia mundial.

Essas mudanças rapidamente se refletiram na melhoria dos indicadores econômicos. Crescimento do PIB nacional, queda da inflação, redução das taxas de juros, retomada da produção industrial, melhora nas vendas do varejo e aumento da oferta de empregos são sinais de que o país saiu da crise.

O Brasil está voltando a crescer e não pode perder a oportunidade de transformar este momento em um ciclo duradouro de progresso em todas as direções. Para isso, é necessário continuar incentivando o investimento produtivo por meio da garantia de segurança jurídica e de condições cada vez mais atraentes para os investidores nacionais e estrangeiros.

Governo e Congresso Nacional devem manter o processo de reformas estruturais do Estado brasileiro. As reformas da previdência e tributária são especialmente necessárias para que o clima de otimismo e de confiança no Brasil não se perca.

Os últimos leilões de concessão mostraram que o capital internacional está de volta. É daí que virão os fortes investimentos em infraestrutura, tão necessários para que possamos superar o atraso e recuperar a posição de nação soberana entre os países mais ricos do mundo. Todos os sinais apontam para um futuro promissor.

A entrada em vigor da Lei Trabalhista anuncia a construção desse novo Brasil — um país moderno, produtivo e eficiente, capaz de gerar riquezas suficientes para que todos os brasileiros possam desfrutar das oportunidades e dos benefícios do século 21.

Saudemos os novos tempos confiantes de que a Modernização Trabalhista será plenamente aplicada e defendida por todos os setores da sociedade, especialmente pelos procuradores e magistrados da área, conscientes de que o país precisa evoluir e de que nenhum setor pode atuar fora da lei.

Clésio Andrade

Presidente da Confederação Nacional do Transporte

* Os artigos do presidente da CNT são publicados mensalmente na Revista CNT Transporte Atual​